segunda-feira, abril 12

Consoleta

Não deve ser mais novidade para ninguém. Mas para mim, era.
Subindo a Consolação: eu bicuda por que sabia que iria passar a noite de sábado em um dos points que estamos tão acostumados a ir (ou seja: mesmo cardápio, mesmo garçon, mesmo flanelinha...).
Mas não, houve a reviravolta!
O Merivão virou a direita na esquina do cemitério e de repente, Consoleta. O garçon do Bar Higienópolis que me contou desse nome. Trata-se desse encontro de bares e restaurantes nas ruas atrás do cemitério. Eu procurei uma definição melhor e achei essa aqui:
"À maneira do que acontece na Recoleta portenha, exalam ao mesmo tempo um ar cosmopolita e um quê bairrista. Alimentam uma certa badalação mais relaxada, com muitos clientes que chegam a pé para comer, diferente da atmosfera dos Jardins, mais chamativa, mais motorizada (...) O novo cidadão consoletano, por assim dizer, segue aquela linha urbano-moderna que, no fim das contas, é extremamente identificada com São Paulo."
Hoje quero ver se arrasto a Gerlova pra lá. Quer vir com a gente?

3 comentários:

Carolina Campos disse...

Van, nada a ver com o post, mas vc precisa ler a "Trilogia Suja de Havana". Tô lendo e sempre lembro de você...

Julia disse...

Fiquei triste.
Meu blog saiu da sua lista de favoritos e eu, saí do seu coração...

Fellipe Fernandes disse...

minha lôra, vc sabe que eu dava tudo pra estar, né?
...e ah, Julia, alguma coisa você deve ter feito, além de colocar vírgulas em lugar errado...